EDUCAÇÃO CONTEMPORÂNEA – ALFABETIZAÇÃO

PERSPECTIVAS:

A educação há muito, tem sido alvo de críticas de vários setores sociais. Ora por sua postura tradicionalista; ora pelos resultados nada animadores…
Ao ver as estatísticas referentes à quantidade de analfabetos funcionais existentes no Brasil. Percebemos que as críticas têm suas razões. O modelo de alfabetização utilizado pela maioria dos professores alfabetizadores, o construtivista, tem sido mal interpretado. Ou seja, a ideia que o aluno aprende por si só, não quer dizer que ele aprenda só. Desta forma, portanto, o educador tem de acompanhar o desenvolvimento do alfabetizando, inclusive mudando sua metodologia de ensino, se for o caso.
Vejam só, se o educando não esta progredindo no universo das letras, então tem alguma coisa errada. Ou o método é ineficaz ou, o indivíduo tem algum problema cognitivo. Verificando que o aluno é capaz (não tem nenhum problema de ordem orgânica). Então o mestre deve rever sua maneira de alfabetizar.
Vamos ver na sequência como funcionam os métodos de alfabetização.

MÉTODOS:

O “MÉTODO GLOBAL OU ANALÍTICO” defende que o melhor é oferecer ao aluno a totalidade. Ou seja, palavras, frases, pequenos textos, para que ele faça uma análise e chegue às partes, que são as letras.
O “MÉTODO FONÉTICO OU SINTÉTICO”, ao contrário, propõe que o aluno aprenda primeiro as letras ou sílabas e o som das mesmas, para depois chegar à palavra ou frase.
Temos ainda o método identificado como “MISTO”, que é a conhecida – cartilha. Baseada em análise e síntese e estruturada a partir de um silabário.
E, por fim, o “CONSTRUTIVISMO” que, no Brasil, teve forte influência com o lançamento do livro Psicogênese da Língua Escrita, de Emilia Ferreiro (Psicolinguista Argentina) e Ana Teberosky (Pedagoga Espanhola), na década de 1980. Lembrando que o Construtivismo é um modelo e não um Método, ele não apresenta uma metodologia a ser seguida.

CONSTRUTIVISMO

“A alfabetização, não é um estado ao qual se chega, mas um processo cujo início é, na maioria dos casos, anterior a escola e que não termina ao finalizar a escola primária”. (FERREIRO, 1999, p.47.). Portanto, a alfabetização não se inicia quando a criança é inserida no espaço escolar. A alfabetização é um processo diário que se inicia quando a criança começa a ter contato com as letras. Ou seja, logo após seu nascimento; em situações onde há interação com as letras, como numa cantiga de ninar, por exemplo.

Naturalmente, que a percepção de letras que a criança tem, nessa idade, não é a mesma que uma criança de 6 ou 7 anos, por exemplo. Mas, já percebe que os signos dizem alguma coisa. E, principalmente, se os familiares fizerem uso de práticas de leitura e escritas.
Alfabetização (letramento) é um processo sem fim… Após ter consciência, codificar e decodificar os símbolos da escrita, o letramento seguirá até o final da vida…
E você, como pensas? Como avalia a alfabetização no Brasil, esta boa ou ruim? O que fazer para melhorar?
Percebas que nossas crianças estão concluindo o ensino fundamental, sem saber ler e escrever com fluência. Aliás, muitos acadêmicos não sabem, não conseguem escrever um pequeno texto coeso e coerente.
Tanto é que o “bicho papão” dos vestibulares é a REDAÇÃO. Um assunto comum como “Meio Ambiente”, por ser assunto do momento, da para encher páginas e páginas. No entanto, muitos, não conseguem escrever metade de uma página. O que esta acontecendo? Incompreensível…
Nas escolas, perde-se muito tempo com coisas inúteis, enquanto que outras mais importantes como: leitura e escrita, não esta tendo o destaque merecido. É preciso deixar claro que só se aprende ler e escrever – lendo e escrevendo. A prática é que desenvolve o gosto, o prazer, pelas diversas literaturas. Não basta conhecer a estrutura lingüística de uma língua, se não praticarmos tal língua… falar bem, escrever bem, ser fluente, necessita treino, prática, e isso, esta sendo negado a nossos alunos.
As pessoas, de uma maneira geral, só escrevem quando precisam fazer uma lista de compras ou, então, marcar um número de telefone ou endereço de alguém. Notadamente, com o advento das novas tecnologias, existe uma interação escrita através do MSN, ORKUT… isso faz com que as pessoas escrevam mais. Porem a grafia é horrível. Palavras ilegíveis, invenção de novos termos- naom=não, que a meu ver, não é para escrever mais rápido, como alguns dizem, é o próprio analfabetismo que não os deixam escrever corretamente…
Portanto, penso que a escola deve fazer uso dessas novas tecnologias, da qual os jovens são fortes usuários, como ferramenta de desenvolvimento da linguagem, (leitura e escrita). Infelizmente há, nesse sentido, muita resistência, pois, muitos professores não dominam tal tecnologia. Isso faz com que fiquem retidos no passado, com metodologias da era jurássica, esquecendo que estamos no Século XXI- A década das informações imediatas.
Por outro lado o governo pouco tem feito para que a educação mude para melhor, visto que pouco investe na área. Escolas sucateadas, professores desmotivados, a comunidade escolar não esta nem um pouco preocupada com a educação das crianças, é mais interessante a novela das oito, do que olhar os cadernos de seus filhos. Que, aliás, esses pais e mães também não podem cobrar muito de seus filhos, pois, eles mesmos não se preocupam com a própria educação. E não é porque falta oportunidade, por mais que não seja grande coisa, mas se o indivíduo quiser estudar sempre tem uma escola que oferece cursos noturnos para adultos. Portanto, a regra é simples, se não faço não posso cobrar dos outros… E assim vai se dando a proliferação de analfabetos e analfabetos funcionais… Os políticos adoram isso, pois, o povo se torna massa de manobras, de fácil manuseio. Visto que, por não estudarem, não conhecem seus direitos, uma cesta básica é o suficiente para comprar-lhe a consciência.
Pense em um Brasil melhor, sem analfabetismo- de cidadãos conscientes dos seus direitos e deveres, de políticos honestos… Será um sonho… Eu acredito que seja possível, mas só vamos chegar a esse ponto através da EDUCAÇÃO. Então o que estamos esperando? Vamos arregaçar as mangas e dar ao povo brasileiro o que eles merecem – Educação de qualidade.
O analfabeto funcional é a pessoa que vive em um mundo, mas não compreende o que acontece a sua volta. Porque as coisas são como são… Não tem percepção do mundo, um cego no paraíso.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s